Sexta-feira 13: Família que inspirou "Invocação do Mal" contam experiências

"Acho que estávamos destinados a ficar lá. Era quase como se a casa nos fizesse ficar lá".
Olá pessoinhas! Tudo bom com vocês? Espero que sim! Bom, em homenagem a essa sexta-feira 13 resolvi fazer um post sobre um filme de terror que assisti e amei! (sei que estou um pouco atrasada, mas comecei a fazer o post ontem e devido a alguns imprevistos não consegui finalizar). O filme é "Invocação do Mal" e é baseado em fatos reais, o que irei contar aqui é a história real por trás do filme, espero que leiam e que deixem sua opinião sobre tudo isso.
Todos os fatos conhecidos do que realmente aconteceu com a família Perron na cidade de Harrisville, em Rhode Island, foram narrados em um livro em 3 partes escrito por Andrea Perron, House of Darkness, House of Light: The True Story, que na época dos acontecimentos tinha apenas 12 anos de idade e que manteve-os em segredo por 30 anos antes de publicar sua história.
Ainda existe muito ceticismo sobre o que de fato ocorreu, mas esta assombração é considerada uma das mais bem documentadas e foi investigada pelo casal Ed e Lorraine Warren, que estiveram envolvidos nos casos de Amityville e da família Snedeker, cuja a história serviu de base para o filme Evocando Espíritos.
Em 1970, Roger e Carolyn Perron compraram a residência onde pretendiam criar seus 5 filhos. A casa fora construída em um terreno muito bonito e até onde sabiam, 8 gerações da família anterior haviam vivido ali. O local dava todos os indícios de que seria o lugar perfeito para eles e seus filhos levarem a vida que sempre sonharam.
Mas a família não foi avisada que naquela casa haviam ocorrido muitas mortes, inclusive suicídios. Segundo a família, logo que se mudaram começaram a presenciar acontecimentos estranhos como aparições, movimentação de objetos e sons estranhos.
A seguir, Andrea e Cynthia, a segunda mais nova das irmãs Perron, falam sobre como foi crescer no local e as lembranças que guardam até hoje. Encontrei essa entrevista com as irmãs na internet, é retirada de alguma parte do livro House of Light: The True Story escrito por Andrea, espero que gostem!

A chegada na casa

Cynthia:  Inicialmente, amávamos a fazenda. Mal podíamos esperar para chegar. Costumo dizer que vivíamos em um pedacinho do paraíso em uma parte do inferno. Mas a propriedade era absolutamente magnífica. Nada podia ser melhor para cinco meninas, ainda mais molecas como nós, que subíamos em árvores e muros de pedra. Mas a primeira coisa aconteceu quando estávamos fazendo a mudança. No momento em que levávamos as caixas para dentro de casa, vimos um homem. Achamos que era alguém da família (dos antigos donos) que estava nos ajudando. Mas todos tinham ido embora e ele ainda estava lá.
Andrea: Ele desapareceu em frente a (minha irmã) Nancy. Eu nunca o vi desaparecer, apenas o vi de corpo todo. Achava que era um homem normal, mortal. Nunca nos ocorreu, nem aos meus pais, que estávamos nos mudando para um casa mal-assombrada.

Objetos fora de lugar

Cynthia: As coisas estavam acontecendo a todos nós, mas não contávamos um para o outro. Estava com meus brinquedos em meu quarto, descia para pegar alguma coisa e, quando voltava, eles não estavam no lugar certo. Tinham sido movidos ou colocados embaixo da cama. Aí eu ia brigar com minhas irmãs e elas não sabiam do que eu estava falando. Foi assim que começou. Quando você percebe que ninguém mais está na casa, só você, e os brinquedos ainda estão mudando de lugar…não pode ser uma das suas irmãs.
Andrea: Começamos a culpar umas às outras. Éramos cinco meninas que dividiam tudo, se amavam loucamente. Mas quando mudamos para a fazenda, de repente só havia suspeita e briga. Não éramos crianças ricas, então valorizávamos nossos brinquedos. E quando as coisas começaram a desaparecer, as acusações surgiram. Um dia minha mãe colocou fim a tudo isso. Ela disse: “Seu pai e eu nos mudamos para as montanhas e compramos esta fazenda para que vocês tivessem um ótimo lugar para viver. E vocês têm mais do que a maioria das crianças deste planeta. Isso acaba agora”. Então percebemos o que estava acontecendo e tivemos uma espécie de transição espiritual. E foi aí que Cindy começou a dividir seus brinquedos com as crianças que apareciam no quarto dela para brincar.

A conversa com os pais

Andrea: Sim. Cindy ia até a minha cama e dizia: “Annie, estou ouvindo vozes e todos dizem a mesma coisa”. E eu perguntava o que eles diziam, e ela respondia: “Há sete soldados mortos na parede”. Oito gerações de uma família viveram e morreram naquela casa antes da nossa chegada. Depois de cinco ou seis meses, abordei minha mãe e disse que era hora de ela saber o que as minhas imrãs estavam dizendo. Um ou dois dias depois, quando meu pai chegou em casa, ela disse: “Precisamos conversar. Você precisa saber o que está acontecendo com a sua família”. Foi a primeira conversa que eles tiveram sobre as manifestações espirituais na casa.

Viver na casa por dez anos

Andrea:  Acho que estávamos destinados a ficar lá. Era quase como se a casa nos fizesse ficar lá. E é preciso lembrar que nos mudamos para a fazenda em janeiro de 1971, quando nossa economia estava muito ruim. O valor da propriedade só diminuía e meus pais tinham colocado tudo o que tinham na casa. Não podíamos apenas ir embora. E nós amávamos a fazenda. Alguns espíritos eram muito bons conosco, nos protegiam.

Os espíritos que viviam na casa

Andrea:  Dez ou doze espíritos eram frequentemente vistos por nós. Havia algo de natureza demoníaca naquela casa. E não sabemos se fomos nós quem os deixaram entrar. Mas acho que não. Acho que estavam lá há muito tempo. A tristeza que havia naquela casa…Podíamos voltar felizes da escola, mas cinco minutos em casa bastavam para acabar com a gente. Tínhamos alguns amigos próximos para quem contávamos as coisas. Mas mesmo os mais próximos não acreditavam. É preciso lembrar que éramos crianças absolutamente normais que viviam uma existência paranormal. Vivíamos entre duas dimensões. Então era possível passarmos ótimos momentos juntas. Podíamos ir para um parque de diversões com nossos pais e dar risada. E então voltávamos para casa, meu pai abria a porta e gritava, porque estava entrando em um lugar cheio de espíritos. E tudo mudava. A felicidade se dissipava instantaneamente.

Presa em um baú de madeira

Cynthia:  Quando nos mudamos, fazia muito frio, então começamos a brincar mais depois de seis meses. Uma vez, tive a ideia de me esconder em um baú de madeira que não tinha trinco ou trava, apenas uma tampa de levantar. Me escondi ali e ninguém vinha me achar. Quando tentei levantar a tampa, ela não abria. Comecei a entrar em pânico. Chutava, empurrava, gritava e ninguém me ouvia. Depois de 20 minutos, desisti. Então minha irmã Nancy veio e abriu a tampa. Eu estavam encharcada de suor, então ela percebeu que eu estava lá há muito tempo. Eu não conseguia respirar, foi muito ruim.

A chegada de Ed e Lorraine Warren

Andrea:  Nossa amiga Barbara foi vê-los em Putnam, porque eles faziam trabalhos na região. Eles foram informados sobre nós. Ficamos muito animadas e aliviadas porque podíamos falar sobre o que estava acontecendo com quem ouvia e acreditava.

As filmagens de "Invocação do Mal"

Andrea:  Sem a nossa mãe, fomos ao set e nos perguntaram se poderíamos dar uma entrevista. Cerca de uma hora e meia depois, do nada, veio um vento forte. Voaram as câmeras, telas, microfones, tudo. Eu olhei para o lado e nenhuma árvore estava se mexendo. Não estava acontecendo nada em nenhum outro lugar daquele set. Olhei para minha irmã Cris e disse: "A maldição de Bathsheba" (nome de um dos espíritos do filme). Ela concordou. No mesmo momento, minha mãe caiu e quebrou o quadril. Só recebemos a mensagem várias horas depois, é claro, porque não podíamos usar celular no set. Chegamos ao hospital logo depois da operação. Minha mãe estava muito sedada, não estava lúcida. As cinco filhas, as enfermeiras e o médico estavam no quarto. Ela sentou, me olhou e disse: "A maldição de Bathsheba". E então deitou de novo e dormiu até o dia seguinte.

A relação com a casa


Andrea: A casa nunca nos deixou, ainda que nós tenhamos deixado a casa. Nunca nos deixou e nunca nos deixará.

Em cima as verdadeiras irmãs Perron e embaixo as respectivas atrizes que as interpretaram no filme.

35 comentários. Clique aqui para comentar também.:

Gabriel Luan disse... [Responder comentário]

Patricia! Ontem foi sexta-feira 13, mas nunca assisti esse filme e não me julguem mas não consigui assistir invocação do mal de tão desinteressante (tentei duas vezes) e olha que eu amo terror.

Bjs,
leemporai.blogspot.com

M i i a h disse... [Responder comentário]

Eu tenho um medo e uma curiosidade sobre humana de filmes baseados em fatos reais, mas nunca assisti a esse rs, nossa, seu post me deixou muito curiosa, sério, quero poder assistir na primeira oportunidade que tiver :D

http://pequenamiia.blogspot.com.br/

Michelly Santos disse... [Responder comentário]

Que post legal, Patrícia! Quando vejo esses filmes de terror que se dizem baseados em histórias reais, fico meio assim se acredito ou não... Mas com esse parece que é verdade mesmo, hein?! Que nervoso! hehe

PS: tá rolando um sorteio do livro A Última Nota, lá no blog! Pra participar é bem simples: basta ser seguidora! Corre lá!

http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/2014/06/promocao-dia-dos-namorados.html

Nossa Estante disse... [Responder comentário]

Olá Patricia. Adorei o post, mesmo que eu não tenha assistido o filme. Confesso que esses filmes que são baseados em fatos reais, me deixam muito nervosa e acabo ficando com medo rs. Enfim, o post é muito interessante, pretendo um dia assistir esse filme. ^^
Beijos.
Brenda.

www.nossaestante.com

Paula Lopes disse... [Responder comentário]

Já vi tipo um documentário tipo seu post e amei. Sou muito medrosa, ainda mais sabendo que é baseado em fatos reais, mas não deixo de assistir. Tenha uma semana abençoada, beijos!

Blog Paisagem de Janela
paisagemdejanela.blogspot.com.br

Aline Coelho disse... [Responder comentário]

Amiga confesso que ando evitando ver e ler sobre filmes de terror. Mas deixo meus parabéns por sua preocupação em trazer um post temático e claro explicando os fatos em que o filme foi baseado.

Beijos

Leituras, vida e paixões!!!

Aline Coelho disse... [Responder comentário]

Patricia não sei se já te falei mas sou uma pessoa medrosa, então evito ao máximo ver e ler sobre filmes de terror. Mas deixo meus parabéns a vc pelo capricho no post e claro a pesquisa.
Beijos

Leituras, vida e paixões!!!

Mariana Fontana Szewkies disse... [Responder comentário]

Oi Patricia,
Nossa..que creepy, rsrs. Eu li Horror em Amityville há uns 15 anos e até hoje o considero o livro mais assustador que já li. De uns tempos para cá o gênero não tem me atraído muito, mas para quem está nesse clima, Invocação do Mal tem tudo para ser um prato cheio.
Beijos
alemdacontracapa.blogspot.com

Leeticia disse... [Responder comentário]

Não sabia desse livro, mas lendo esse relato da meninas torna tudo muito mais real.
Já vi o filme, faz um tempo. Vou ter que ver novamente.
Ótimo post, adorei, amo essas coisas.
Beijos
neversaynever-believe.blogspot.com.br

Anônimo disse... [Responder comentário]

Amouito filme de terror,foi muito bom esse filme, adorei o post e a entrevista das meninas! Eu nunca pensei q isso poderia acontecer com alguém

Amiga da Leitora Thais disse... [Responder comentário]

Menina eu sou a maior patife, não assisto filme de terror nem a pau! kkkkkkk

xoxo
http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

Amaya Catcher disse... [Responder comentário]

Já vi esse filme mas não todo, eu gostei e fiquei chocada quando soube que é uma historia real.é realmente assustador saber que tudo já aconteceu com essas mulheres.
Não sabia que tinha o livro, adorei saber como ela contou a historia, deve ter sido muito assustador.
Beijos <3
http://booksmanybooks.blogspot.com.br/

disse... [Responder comentário]

Já fico com um nó na garganta quando descubro que o film que vi / vou ver é baseado em uma história real. Filme de terror baseado em história real, então, é de gelar a espinha!
Gostei demais do post.
Beijo!

www.diarioquaseescritora.blogspot.com

Mari S. disse... [Responder comentário]

Oi, tudo bem?

Eu gosto muito de filmes de terror, mas acho que esse ainda não assisti. Ultimamente estou tentando dar um tempo, ando ficando com muito medo...rsss!!

Muito boa a entrevista com as irmãs!

Beijos

Mari
cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Olá Gabriel! Sério, eu adorei o filme, um dos melhores de terror que já assisti, gostei pq ao menos tem uma história, diferente de alguns que vemos por aí que não tem história alguma e só sangue jorrando pra todo lado.
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Tbm sou assim, todos os que saem que vejo que é baseado em história real corro pra ver! kkkk assiste sim, vc vai gostar!
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Fico feliz que tenha gostado! Tbm sou assim, com toda certeza eles exageram um pouco no filme, como eu Horror em Amityville, o filme é completamente o oposto do livro, que eu acredito contar a história real, mas eu acredito nessas coisas sim.
Obrigada, pode deixar que participarei sim!
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Olá, fico feliz que tenha gostado! Tbm fico com medo, mas a curiosidade é maior e acabo não resistindo! hahaha
Assiste sim, vc vai gostar!
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Vi um documentário há um tempo atrás tbm, só não me lembro onde. Sou assim tbm, tenho medo mas a curiosidade é maior kkkk
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Olá Aline, obrigada! Tbm tenho medo, mas a curiosidade acaba sendo maior! kkkkk
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Olá Mariana! Tbm li Horror em Amityville, e tbm considero o livro mais assustador que já li hahhaah queria ler O Exorcista mas ainda não criei coragem kkkkk
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Tbm não conhecia, achei bem interessante, podia ter aqui no Brasil né hahahah
Fico feliz que tenha gostado do post!
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Amo filmes de terror tbm, e achei o relato delas incrível tbm.
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

kkkkk sério? tenho um pouco de medo tbm, mas muita curiosidade! kkkkk
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Eu fiquei sabendo que era baseado em fatos reais antes mesmo de assistir, o que me deixou ainda com mais medo kkkkk mas é ótima a história, mesmo que tenha alguns fatos exagerados como tem em todo filme de terror.
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Gosto sempre de saber seé baseado em fatos reais antes mesmo de assistir, aí já vou atrás da história para saber um pouco mais o que realmente aconteceu, curiosidade mórbida kkkkk
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Olá! Gosto bastante de filmes de terror tbm! Sempre tive um pouco de medo, mas a curiosidade é maior e acabo assistindo!
Vc devia assistir a esse é muito bom, qlqr coisa assiste de dia kkkk
Beijo!

ludmillaneres disse... [Responder comentário]

Ai meu Deus! Raramente vejo filmes de terror ou coisas do gênero. Sou muito medrosa. Mas adorei a postagem :D
http://eu-ludmilla.blogspot.com.br/

Pâm Possani disse... [Responder comentário]

Meu Deus, pensou viver numa casa dessas? Nossa Senhora! Eu tenho medo de ver, nao sei, um pouco de receio rs Esse eu não assisti, mas deve ser bem tenso só pelo que elas próprias falaram que aconteceu :o
É bem diferente mesmo :o
Um beijo!
Pâm - www.interruptedreamer.com

Kel Araujo disse... [Responder comentário]

AI QUE MEEEEEEEEEEEEEEDO huahuahuahua. Confesso que morro de medo de livros/filmes de terror. Não fazem a minha praia. Só de ler o seu post já fiquei arrepiada =P

beijos
Kel
www.porumaboaleitura.com.br

Jackeline Helen disse... [Responder comentário]

Sorte minha que li seu post durante o dia hahaha (sim, sou cagona mesmo). Nunca assisti Invocação do Mal, não por falta de interesse, mas por medo, com certeza terror é o meu gênero de filmes menos preferido, são raros os filmes de terror que já assisti. Mesmo assim, adorei o post com a entrevista bem sinistra haha.

Jacke Helen
☁ http://colecaodenuvens.blogspot.com.br/

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Perca esse medo e vai assistir Invocação do Mal é muito bom! kkkkk
Tbm tenho medo, mas assisto mesmo assim :P
Obrigada, fico feliz que tenha gostado!
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Tbm passo longe dessas casas kkkkk e ainda mais viver numa dessas por 10 anos!
É bem tenso mesmo, mas nos filmes eles sempre exageram um pouco né!
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

Bem tenso né? kkkkk Tbm tenho um medinho, mas a curiosidade é maior e acabo lendo e assistindo! kkkk
Beijo!

Patricia Martins Bueno disse... [Responder comentário]

É, acho que não seria muito agaradável ler a noite né kkkkk
Faz assim, assiste o filme de dia tbm kkkk já eu acho que existem poucos filmes de terror q não assisti!
Obrigada, fico feliz que tenha gostado!
Beijo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Topo